2008/12/8 Cláudio Sampaio <[EMAIL PROTECTED]>:
> 2008/12/7 Olival Gomes Barboza Júnior <[EMAIL PROTECTED]>
>> Alguém pode dizer quando é traçada a tal linha em que os "pecados
>> corporativos" são "expiados" e os "culpados punidos". Afinal, temos empresas
>> "amiguinhas do SL" que possuem até colaboração no Holocausto na lista de
>> "pecados corporativos".
>
> Eu alguma hora sugeri que o tratamento deva ser diferente? A tal "empresa

A partir do momento que a única empresa que é cronicamente citada em
críticas é a MS, entendo que as demais já devem ter atravessado a sua
linha do "perdão aos pecados corporativos". ;-)

> amiguinha" é a IBM - prefiro usar todas as palavras - e eu acho que quem
> contribuiu para esse ato horrendo de colaborar com o Holocausto deve ser
> punido e necessariamente como crime de guerra. O maior problema é: as
> pessoas que participaram disso já estão mortas, o esquema armado pra isso já
> sumiu, praticamente tudo que aconteceu que caracterizou esse crime já se
> perdeu de uma forma ou outra. Podemos dizer que, de certa forma, esse crime
> hediondo "expirou".

Crimes "hediondos" como esse não "expiram". Ainda há sobreviventes de
Campos de Concentração com as tatuagens de suas "chaves primárias".
Não vou me alongar porque podemos passar sem este exemplo.

O "crime" que interessa aqui são as práticas predatórias de mercado.
Na década de 60 aos anos 80 a IBM foi processada algumas vezes com
base nas leis anti-truste dos EUA (e da Europa também, salvo engano).
Um "crime" bastante similar ao da MS em termos de prejuízos ao então
nascente mercado de TI.

E, mesmo com todo o auê sobre software "open source" (porque "software
livre" é um termo que a IBM só utiliza no Brasil - isso qdo não
resolve usar o confuso termo "código aberto"), você poderia apontar
algum produto "major" da empresa que teve seu código liberado sob uma
licença livre? Todos os "cash cows" continuam proprietários.

Finalmente, um tema bastante afim à questão do software livre é o
combate ao sistema de patentes atual. A IBM é uma das empresas
recordistas em obtenção de patentes (bogus ou não) e utiliza seu
licenciamento como linha de negócios (bastante rentável, por sinal).
Curiosamente, nunca vi nenhuma crítica à empresa sobre isso, enquanto
outras são praticamente massacradas (nesta lista e em outras
similares) por fazerem exatamente a mesma coisa.

E podemos ir mais longe falando da Oracle e da Sun também, se vc
quiser. Como eu disse antes, não estou falando de defender a MS, mas
sim de observar o contexto das outras empresas quando elas dizem
"apoiar" o Software Livre.

Será que o movimento da MS "experimentando" tecnologias ou práticas
típicas de FLOSS não é algo similar ao que a IBM fez nos últimos anos,
quando resolveu "adentrar" o mundo Open Source? No mínimo, ambas
tiveram por motivação a ameaça aos seus modelos de negócio
tradicionais.

> Não posso ser "culpado" pelos atos de outros "ardorosos defensores do SL",
> como obviamente você me taxa. Mas minha coerência segue a máxima: eu louvo
> "o ato" e não a empresa. Só considero uma empresa louvável quando apresenta
> um registro longo e consistente de colaboração com o software livre.

Registro longo e consistente de colaboração com Software Livre pode
coexistir com registro longo e consistente de apoio e venda de
tecnologias proprietárias, "monetização" através de licenciamento de
"propriedade intelectual", discurso inconsistente (afinal, é só pegar
qualquer anúncio de quando a linha Thinkpad ainda era da IBM para
encontrar o famoso "a IBM recomenda MS Windows XP" - e isso há poucos
anos atrás)?

> E nem mesmo os atos supostamente louváveis da Microsoft acabam sendo.
> Afinal, como disse o Antônio, nada sugere que ela não esteja usando o
> familiar "Embrace, Extend and Extinguish".

E o que você acha que a IBM fez ao doar boa parte do código de suporte
a webservices ao projeto Apache? Sendo "boazinha" e compartilhando o
conhecimento ou criando um padrão de fato que ensejaria um padrão de
direito posteriormente? Vamos ler mais e prestar atenção à história,
meu caro.

> Repito: a Microsoft devia ser PUNIDA duramente. A empresa e os funcionários
> que tiveram parte em seus crimes. Além disso, a mentalidade das pessoas
> devia ser menos condolente com a Microsoft.

Ok, então me diga quem foram os PUNIDOS duramente nos processos
antitruste contra a IBM há coisa de 20 ou 30 anos atrás? Parece muito
tempo? Os processos contra a MS surgiram uns 10 anos depois.

A "mentalidade" das pessoas talvez devesse ser menos superficial e
enxergar melhor como uns influenciam o destino de determinadas coisas
com alguns "memes" (e códigos) bem plantados. Mantenha seus amigos
perto e os inimigos mais perto ainda, diriam alguns.

[ ]s,

OJr.
_______________________________________________
PSL-Brasil mailing list
PSL-Brasil@listas.softwarelivre.org
http://listas.softwarelivre.org/mailman/listinfo/psl-brasil
Regras da lista:
http://twiki.softwarelivre.org/bin/view/PSLBrasil/RegrasDaListaPSLBrasil

Responder a